O Direito Contemporâneo é o cenário de profundas transformações, que se revelam no ordenamento, nas teorias e construções doutrinárias, no papel da jurisprudência e na própria maneira como o Direito é ensinado e como ele se coloca na centralidade da vida, mesmo quando não deveria ser esse seu papel. Em meio a tantas solicitações ambientes e o acúmulo inexorável de informações, sem a antiga hierarquia da qualidade, é fundamental agir e coadjuvar na criação de espaços para a divulgação de ideias, pesquisas e escritos sobre o Direito (e muita vez, não somente sobre ele).

Neste “Direito Contemporâneo”, podem-se encontrar informações sobre meu perfil, meus livros e artigos, além de sugestões de leitura de textos de autores que contribuem seriamente para o conhecimento jurídico. A todos, oferecem-se as boas vindas e expressa-se o desejo que o “Direito Contemporâneo” possa-lhes ser útil em suas caminhadas pelas vias quase sempre tortuosas do mundo jurídico.

E por falar na contradição essencial que encerra o Direito, porque criação humana, recordo-me de minhas andanças sem rumo pelas ruas de Hamburgo, a tão acolhedora Cidade Livre e Hanseática, e quando encontrei as ruínas da Igreja de São Nicolau, transformadas em museu. Lá deparei com uma placa de bronze, na qual está escrito um trecho dos escritos de Dietrich Bonhoeffer, um mártir dos tempos modernos: “Kein Mensch auf der ganzen Welt kann die Wahrheit verändern. Man kann sie nur suchen, sie finden und ihr dienen.Die Wahrheit ist an jedem Ort“. De fato, nenhuma pessoa no mundo pode mudar a verdade. É dado a todos procurá-la e buscar servi-la.  Afinal, a verdade está em todos os lugares.

Otavio Luiz Rodrigues Junior